domingo, 11 de maio de 2008

Sem cerimônia



Quando a solidão bateu à porta,
eu abri.

Sem pedir licença,
ela entrou.
No meu sofá preferido,
sentou.

Meu melhor vinho, sem elogio,
bebeu: um gole seco, duro, áspero.

As fotos na estante
olhou e
sem dizer palavra, sem permissão,
quebrou a moldura,
rasgou no papel as figuras traçadas, perdidas num tempo indefinido.

Sem perguntar onde, ao meu quarto
subiu.
Se olhou no espelho,
se deitou na cama,
se banhou em aromas.
Estava em casa.
Tomou conta do meu espaço,
do meu pedaço de vida,
do mundo pequeno
Que nem a mim cabia.

Restou-me
sair: às ruas nuas, cinzentas, gélidas como a ausência sua, e
bater ao coração de alguém
que me quisesse e abrisse a porta e,
sem pedir licença,
sem cerimônia, eu pudesse entrar.


When the loneliness broke the door,
I opened.

Without asking permission,
she entered.
In my favorite sofa,
sat.

My best wine, without praise,
drank: gole a dry, hard, harsh.

The photos in the bookshelf
and looked
without saying word, without permission,
broke the frame,
tore role in the figures drawn, lost an indefinite time.

Without asking where, in my bedroom
rose.
If you looked in the mirror,
deitou was in bed,
is bathed in smell.
She was at home.
It took account of my space,
the piece of my life,
the small world
What was not to me.

Restou me
exit: the streets naked, grey, frozen as their absence, and
hit the heart of someone
I wanted to and open the door and,
without asking permission,
without ceremony, I could enter.

24 comentários:

Gustavo Santiago disse...

poema legal
sobre uma palavrinha que muita gente não gosta de ouvir e outros que acham preciso.

solidão.

=D

Everaldo Ygor disse...

Olá...
E a solidão sempre fornecendo sentimentos e linhas para grandes criações... A poesia é assim, de caminhos, sons e sempre retorna, Sem cerimônia...
Abraços
Everaldo Ygor
http://outrasandancas.blogspot.com/

alanzinho disse...

UM ROMANTICA RSRS GOSTEI PARABENS PELO BLOG

Leonardo Martins disse...

adoooooorei o poema *-*
voce quem fez?

Carlos disse...

ótimo trabalho belo poema (^_^)

caio arroyo disse...

Solidnao tambem pode ser bom se for bem usada e não um vicio, ja tive blog de poemas em ingles é inacreditavel como as mesmas palavras em outra lugar pode ter outro sentindo
Esperando sua visita
http://tvcinemaemusica.wordpress.com

Cansei de Ser Loser disse...

Nossa que bacana que ficou! =D
Parabéns!

Luidi disse...

sentimento de solidão é um dos piores que há.. e o pior é que pode vir mesmo que estejamos rodeados de pessoas!

muito bonito poema!

LockeZeRo disse...

Gostei do Poema, continue assim!

Thatha disse...

Nossa poema muuito lindu as vezes a solidão também entra na minha casa sem ter permição....

Paixão, M. disse...

Acho que é sina, sim, Klédina. É nossa sina boa :)

E a solidão, essa folgada. Sempre quer chegar, toda espaçosa, e fazer morada. Conheço bem o tipo.

Muito bom te ver por aqui :)

Um beijo enorme!
E até julho, sim!

Everaldo Ygor disse...

Revisitando e relendo, procurando espaços, para convidar a morte, o vento, a solidão, Os Sonhos e a poesia toda para sentar...
Abraços
Everaldo Ygor
http://outrasandancas.blogspot.com/

Anônimo disse...

obrigada pelo comentário no meu cantinho!
As saudades são uma tormenta, quando se sabe que nunca, mas mesmo nunca as poderemos matar... Mesmo que nos tragam memórias agradáveis, a certeza de nunca mais poder dizer um simples "olá" a uma pessoa que partiu, faz-me perguntar se vale a pena tê-la conhecido...
dói muito.
Quem sabe um dia...



Um beijinho
Dinorah
www.casosdaalma.blogspot.com

Dêzinha disse...

Acho o seu blog bem bacana, parabéns! =D

Depois passa no meu tbm, te espero!

=****

TH disse...

Adoro essa palavrinha...
Acho q porque sempre aprendi a viver sozinho...apesar de ter amigos e confidentes, sozinho enxergo melhor as coisas. Não que solidão seja algo bom pra sempre, mas eu sei definir bem o lado bom da solidão

Abraços!

www.thiagohenrick.blogspot.com

Charles Araújo disse...

Aaaai essa maldita solidão!
Entra sem permissão e toma conta da nossa vida...Nos deixa com uma angustia que nem dá pra medir.
Belo blog, parabéns!
o/

nanaxinha_dk disse...

gostei do blog, parabéns.

do Ricardinho Dias Gomes disse...

a solidão é a maior fonte de inspiração.
parabéns...belo blog.
passe lá:
http://tvariedades.blogspot.com/

Reporter x disse...

otimo poema... otimo blog!

Salada disse...

muito bom mesmo o poema! parabéns! gostei bastante! vou favoritar pra ficar de olho nas novidades...

Marcelo disse...

A idéia do poema e a imagem se encaixam muito bem. Excelente escolha.

Ramon Steffen disse...

Eu já não tenho medo da solidão
até gosto dela ^^

Victor Mariusso disse...

Lindo poema, imagens reverberantes de tão nítidas. Muito bem narrada a visita da tão temida de muita gente. Comigo foi assim mesmo. Só toma cuidado com o tradutor, que tá te sacaneando. Não que isso desmereça o original, mas quem tenta ler a tradução bóia bonito. Te mando no email uma livre-tradução pro teu poema q eu fiz, ok?
Beijo, e não deixe morrer nunca a centelha já frágil da poesia.

Débora disse...

Eh...solidão as vezes eh preciso p pensar,mas sem exageros..vem qd sem a nossa permissão e se ñ formos fortes ñ da p aguentar...
boas palavras...
vlw pelo comentario no meu blog,legal...
bJo


Viajante,
Não sou poetisa ou poeta.
Mas as palavras merecem um espaço além dos pensamentos,
do aquém túmulo da boca.
Depois de anos guardando-as, depois de incentivos amigos,
Ei-las aqui para quem as desejar ler, rechaçá-las,
guardá-las ou apenas fazer uma visita
ao espaço das palavras inquietas, assanhadas
amantes, amadas e
solidárias. Na verdade, apenas minhas palavras.
Aos que se aventurarem em sua companhia:
Boa Viagem!!!!!


Traveller,

I am not poet.
But the words deserve a space beyond the thoughts,
below the mouth of the tomb.
After years of saving them, after incentives friends,
Hey them here for those who want to read, rejected them,
save them or just make a visit
the area of words worried, exceted
lovers, and loved
solidarity. Actually, just my words.
For those who venture into whether his company:
Good travel !!!!!!!!!!